O término

7 10 2015

O término
é como uma lâmina rasgando a carne.

Nunca se sabe quão profundo vai ferir
até quando vai doer
e quanto tempo até curar.

Amoroso





Amor não feito, Ana Martins Marques

18 09 2015

No centro do que me lembro ficou
o amor não feito:
o que não foi rói o que foi
como a maresia

casa onde não morei país invisitado
praia inacessível avistada do alto
o que fazer do desejo
que não se gastou?

alegria não sentida amor não feito
prazer adiado sine die
palavra recolhida como um cão
vadio gesto interrompido beijo a seco

como parece banal agora
o que o barrou
compromissos decência covardia
não foi nada disso que ficou

mas precioso aceso
e perfeito
restou o desejo do amor
não feito

88b9e03352a4d306dcac2257b9306ade





Casa

19 08 2015

Sentei-me do lado de fora
tentando enxergar a própria vida.

Alguns raios do dia entravam pela porta.

As janelas, como pálpebras suavemente fechadas.

A cor da fachada lembrava o entardecer.

Entrei como hóspede, trazia olhos de curiosidade.

Nos corredores, nenhum quadro, poucas fotos.
Palavras pintavam as paredes.

Em cada quarto, um pouco de memória
e um tanto de esquecimento.

Cheiros de vida nos aromas da cozinha.

Na sala, uma TV muda
como um náufrago no deserto.

A solidão em cada gota do chuveiro.
E nenhum fantasma no sótão.

No telhado, um guarda-sol esperava a chuva.

Livros preenchiam espaços na memória.
Amigos contavam histórias das prateleiras.

A imensa cama derramada no chão
como um gramado à espera do sereno.

No pátio, algumas poltronas
                           e uma grande tela
                                       onde projeto meus sonhos.

image





Minha memória é uma rocha.

3 09 2014

Minha memória é uma rocha.
Só o tempo pode eliminá-la.
Há restos de vida nas arestas.
Há vincos de lembranças.
E vazios de esquecimentos.

Lucas De Nardi





antes de voltar pro mar.

31 08 2014

O tempo nunca foi tão espesso
uma experiência de expandir sentidos.
O dia virava noite que logo amanhecia.
As ondas se arrastavam pelas areias
antes de voltar pro mar.
Incessantemente, sem nunca cansar.

Lucas De Nardi

IMG_2300

 





Senão estando ali

7 01 2014

20140107-003449.jpg

Naqueles dias, não pensava muito
a vida ardia em demasia…
para que eu pudesse pensá-la

Não há espaço para pensamento
onde a vida é imensa

Não pensava também no tempo
Pois o presente engolia tudo
E o passado parecia estrela distante
que se põe no horizonte…

N’algum momento chegaria o futuro
Não havia pressa para conhecê-lo

A vida, assim, se compunha
em experimentar o tempo
não de outra maneira
senão estando ali.

Lucas De Nardi





…a urgência da vida

16 07 2013

O “para sempre” me oprime…
Por isso, amo tanto a urgência da vida.

Lucas De Nardi