16 02 2013

São 3 horas da madrugada…

Sinto uma sonolência criativa
E perguntou-me:

Perco-a para o sono?
Ou a vivo para a poesia?

Lucas De Nardi





a água que desliza nunca é a mesma

16 02 2013

Nunca as coisas se repetirão
Não há verdade maior que esta
Pois nada acontecerá novamente neste hoje
E jamais haverá de novo este agora

Cada instante nasce imaculado
Morre nas mãos de nossas escolhas
Dando lugar ao momento seguinte
E este, também, não virá outra vez

A esta sucessiva continuidade chamamos tempo
Nele navegamos o oceano das possibilidades
Por vezes perdemos os olhos no céu
Esperando a impossível repetição das nuvens

Mareados, cegamo-nos para o presente
Ingnorando a vida, corrente sob a proa
E mesmo que pareça
água que desliza
nunca é a mesma

Lucas De Nardi